"Quem me dera ser leal, discreto e silencioso como minha sombra" (Dom Helder Câmara).

sábado, 30 de dezembro de 2017

Calendário paroquial 2017 – Paróquia de Santo Afonso (Fortaleza – Ceará)

 Os principais eventos da Paróquia de Santo Afonso Maria de Ligório, em Fortaleza – Ceará, organizados pelos movimentos e pastorais  para o ano de 2017.

















Compartilhe:

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Livro: Rezar com Dom Helder

Pe. Geovane Saraiva lançou seu novo livro,  na Comunidade da Cruz Missionária,
 após a missa do setor 7,  no dia de seu aniversário, 30/10/2015,
Parquelândia - Fortaleza - CE.
A lavra literária do pároco de Santo Afonso, na sua nona  obra.
Nosso novo livro já se encontra na Paróquia Santo Afonso, 
Avenida Jovita Feitosa, 2733 - Cep. 60455-410, 
telefone (85) 32238785 - Parquelândia, Fortaleza - CE.
 Nosso muito obrigado e forte abraço!


Pe. Geovane Saraiva com Dom Helder, na Catedral de Brasília,
 em julho de 1980, aguardando o Papa João Paulo II.


Compartilhe:

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Pe. Geovane Saraiva na Revista digital mais completa do Brasil

http://domtotal.com/noticia/1176309/2017/08/tesouro-maior/








Compartilhe:

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Paladino do amor eterno

Padre Geovane Saraiva*
O século XII exultou de vitalidade cultural, originalidade intelectual e profundas marcas espirituais em São Bernardo de Claraval, homem extremamente assinalado e seduzido pela bondade infinita de Deus, na história da nossa civilização cristã católica. Em diversas ocasiões, obedecendo à voz de Deus, deixou a vida contemplativa para ir ao encontro de questões que agitavam o mundo no qual estava inserido. Sua presença foi determinante, além de concreta e segura em acontecimentos dolorosos que envolviam a humanidade, levando em conta que ele era homem de vida contemplativa, religioso e monge. Que o mesmo espírito de São Bernardo entre em nosso agitado mundo, que tem seu auge na “violência desumana do terrorismo”.

Resultado de imagem para bernardo de claraval culto a virgem mariaQue ele, como exímio pregador, místico, escritor, fundador de mosteiros, abade, conselheiro de papas, reis e bispos, possa ensinar a este nosso mundo tão conturbado, sensibilizando, também como político polêmico e ao mesmo tempo pacificador, a todos que têm responsabilidades com o destino do referido mundo. São Bernardo foi paladino do amor eterno, revelado e manifestado no Filho de Deus, desde Belém até o Gólgota. Também sempre foi lembrado como poeta do amor incomparável de Nossa Senhora: “Lembrai-vos, ó piedosíssima Virgem Maria (...)”. Pelo seu exemplo, que Maria nos ensine a seguir os passos de Jesus, pelo anúncio da compaixão de Deus, tendo na mente e no coração seu ardoroso sonho, que é o de um mundo verdadeiramente de irmãos, com absoluta confiança na grandeza do Bom Senhor, proclamada por sua Mãe Maria.

Como Bernardo de Claraval ajuda a compreender a figura de Maria, mulher que soube colocar e meditar no coração os atos e as palavras de seu Filho Jesus, tendo presente o canto de ação de graças por todos os dons, colocando-se a serviço da compaixão de Deus, ao manifestar sua misericórdia de geração em geração! Quão grandiosidade de Maria, como seguidora fiel, ao lado de seu Filho condenado, ultrajado e morto na cruz, ajudando-nos a absorver seu amor misericordioso para com todos.

Voltando ao paladino do amor eterno, pelo grande Poeta Dante, da Divina Comédia, elegendo-o como seu guia no Paraíso, colocou nos seus lábios a saudação à Virgem Maria: “Tu, ó Virgem, és tão valiosa na intercessão, de tal modo que quem quiser alcançar uma graça, sem recorrer a Ti, é semelhante a uma ave, que tenta voar sem asas”. A fé de Maria no Deus dos pequenos concorre para reavivar em nós o dom da fé e também a nossa missão, indicando-nos que no coração da mãe prevalece a ternura de Deus. Amém!

*Pároco de Santo Afonso e vice-presidente da Previdência Sacerdotal, integra a  Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza - geovanesaraiva@gmail.com
Compartilhe:

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

CONSOLATA PARTICIPA DA 26ª FEIRA VOCACIONAL EM SÃO PAULO

feiravocacional1
Missionários e Missionárias da Consolata receberam vários jovens que buscam um discernimento vocacional.
por Robério Crisóstomo

No final de semana de 19 e 20 de agosto, na diocese de Santo Amaro, São Paulo, foi realizada a 26ª Feira Vocacional com o tema Semeando Vocações. Este evento tem como objetivo promover e dar a conhecer os diversos carismas das Congregações, Institutos e comunidades de vida apostólica existentes na Igreja, ou seja, os jovens têm a oportunidade de conhecer os diversos carismas na Igreja e assim fazer contato e levar adiante um acompanhamento de discernimento vocacional. A feira doi realizada no Pátio de Eventos da Paróquia Nossa Senhora da Esperança, localizada à Rua Nossa Senhora de Nazaré, 101 na Cidade Dutra, zona sul de São Paulo. Toda esta estrutura foi em um espaço de celebrações eucarísticas, confissões, shows católicos e muita animação.

feiravocacional3
Os missionários e as missionárias da Consolata, seminaristas e jovens vocacionados que vêm fazendo um caminho de discernimento vocacional desde o carisma missionário da Igreja orientado e fundamentado na espiritualidade do fundador da família Consolata, o Bem-aventurado José Allamano, tiveram a oportunidade de participar e conhecer outras Congregações e Institutos religiosos.


Vários jovens visitaram o estande, que trazia em destaque o nome Consolata, e tiveram a oportunidade de levar panfletos, exemplares da revista Missões, bem como diversos materiais contendo a história do carisma da Consolata. Neste mesmo clima vocacional tivemos a oportunidade de partilhar a recente beatificação da irmã Irene Stefani missionária da Consolata que deixou para a Igreja um profundo espírito missionário e testemunho de vida religiosa consagrada para a Missão.

feiravocacional2Em nosso estande recebemos a visita de dom José Negri, PIME, bispo da diocese de Santo Amaro, que muito se alegrou e nos encorajou a dar a conhecer o carisma missionário da Igreja que é a natureza e essência da mesma, desde o despertar às vocações para a vida religiosa e missionária.

Os vários jovens bem como o público plural que nos visitou, em um olhar vibrante pelo carisma missionário, saiam entusiasmados e motivados em assumir desde sua vida pessoal, familiar e comunitária a dar a conhecer a dimensão missionária da Igreja que cada dia mais vem sendo motivada pelo papa Francisco.

Rezemos pelas vocações que a cada dia vem sendo grande desafio da Igreja, mas que não deixa de ser sinal de esperança missionária.

Robério Crisóstomo, imc, é animador vocacional.
Compartilhe:

CNBB: reforma do seu prédio sede - Coleta Nacional

CNBB mobiliza o Brasil com campanha sobre Coleta Nacional para a reforma do seu prédio sede
CNBB mobiliza o Brasil com campanha sobre Coleta Nacional para a reforma do seu prédio sede

CNBB mobiliza o Brasil com campanha sobre Coleta Nacional para a reforma do seu prédio sede
A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou a Campanha “Juntos com a CNBB pela Evangelização”com o intuito de mobilizar as paróquias e dioceses do Brasil a realizarem uma Coleta Nacional, dia 10 de setembro, cujo o objetivo é levantar recursos para a reforma do seu prédio sede em Brasília (DF).  A campanha conta com material de divulgação (vídeos, banners, cartazes, etc) especialmente para as redes sociais. Desde sua inauguração 15 de novembro de 1977, o prédio nunca sofreu uma reforma.

“Esta sede nacional da CNBB acolhe bispos, sacerdotes, diáconos, religiosos e religiosas, leigos e leigas, pessoas de outras religiões que aqui vem para trocar ideias, se enriquecerem e renovarem a disposição de evangelizar este Brasil. Esta sede foi construída há mais de quarenta anos, precisa de uma reforma urgente e contamos com a sua colaboração para concretizar esse nosso desejo”, diz dom Murilo Krieger, vice-presidente da CNBB no vídeo oficial da campanha de divulgação da Coleta Nacional que será realizada em 10 de setembro.

O cardeal Sergio da Rocha, presidente da Conferência, explica, no vídeo, o que é a CNBB e a sua missão dentro da Igreja no Brasil: “A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil é um instrumento muito valioso de comunhão, de unidade da Igreja no Brasil e da ação evangelizadora e a CNBB está organizada em doze comissões pastorais que têm a finalidade, justamente, de animar a ação pastoral, a ação evangelizadora e promover a unidade pastoral nas dioceses e nos diversos setores da vida da Igreja no Brasil”.

O sentido da existência de uma sede nacional

A sede da matriz da CNBB está localizada, em Brasília, ao lado da Nunciatura Apostólica, no setor de embaixadas. Um prédio amplo de três pavimentos que abriga salas de trabalho da presidência; salas da secretaria geral que conta subsecretaria geral adjunta e subsecretaria de pastoral, com a assessorias específicas como política e imprensa e um salão de entrevistas coletivas; salas das comissões episcopais pastorais; espaço para a biblioteca; salas para comportar toda a administração que compreende a gestão de 18 regionais espalhados por todos o Brasil incluindo setores de trabalho social; além de uma ampla área de acolhimento para os bispos que se hospedam em Brasília durantes as reuniões regulares dos conselhos da Conferência. Tudo isso, além da estrutura de cozinha, lavanderia e de serviços gerais. A sede ainda tem a residência de uma comunidade de religiosas.


O prédio foi inaugurado em 15 de novembro de 1977 para acolher os bispos e trabalhadores que trabalhavam no Rio de Janeiro. No dia do início das atividades na nova sede, em Brasília, o então presidente da CNBB, cardeal Aloísio Lorscheider, segundo informações de reportagem da Canção Nova, fez a seguinte afirmação: “esta Casa quer ser um sinal. E como tal, um ponto de chegada e um ponto de partida. (…) Para os que vierem, ela será sempre uma forte memória de um passado vivido em meio à crise de uma sentida transformação com um poderoso impulso motivador para um futuro ainda envolto no mistério das múltiplas interrogações”.

O cardeal ainda acrescentou: “A Casa que hoje inauguramos no coração da nossa Pátria, num dia de festa nacional, deseja apresentar-se como a oficina sagrada em que o material informe – trabalhos e problemas nacionais comuns, ideias e pontos de vista divergentes, atividades isoladas nem sempre harmoniosas – receba em Cristo, na luz do Seu Espírito, a unidade de orientação, a força irresistível de evangelização, o dinamismo espiritual animador de todas as nossas Igrejas espalhadas pelo Brasil”.

A Reforma

Na última Assembleia Geral da CNBB, realizada entre 26 de abril e 5 de maio deste ano, os bispos receberam, em plenário, um amplo relatório sobre as condições gerais que se encontram o prédio. Foram apresentadas, inclusive, as urgências em relação a questões estruturais, além de informações sobre as intervenções feitas nos últimos anos. A conclusão a que chegou a presidência foi de que uma reforma ampla e substancial é necessária e urgente. Nessa reforma, também foi contemplada a melhoria de algumas instalações para atender as necessidades novas da administração.

O assunto já havia sido amplamente discutido no Conselho Permanente da Conferência que o encaminhou à Assembleia Geral. Um estudo detalhado das intervenções a serem realizadas no período de um ano e meio também foi levado ao conhecimento dos bispos de modo que, depois de suficiente debate foi aprovada a reforma juntamente com a decisão de que será feita uma Coleta Nacional para este fim.

A campanha de divulgação

Atendendo a uma solicitação dos bispos para que o sentido da coleta fosse amplamente conhecido, a CNBB preparou uma plataforma na internet com todo o material da campanha que pode ser baixado pelas dioceses, paróquias e todos os que puderem ajudar no seguinte link: http://edicoescnbb.rds.land/kit-coleta-nacional.

“Juntos com a CNBB pela evangelização” é o mote de preparação para a Coleta Nacional. Dom Leonardo Steiner, secretário-geral, no vídeo promocional faz o seguinte apelo: “Meus irmãos e minha irmãs: na última Assembleia Geral dos Bispos do Brasil conversamos longamente sobre como ajudarmos a CNBB ser mais evangelizadora e mais missionária criando, assim, espaços maiores na sua sede para podermos ajudar ainda mais as nossas dioceses, os nossos regionais, as nossas comunidades. Os bispos tomaram a decisão de fazer uma Coleta nas nossas dioceses, nas nossas paróquias e comunidades. E essa coleta acontecerá no dia 10 de setembro. Nós convidamos a todas as pessoas, a todos os irmãos e irmãs a generosamente contribuírem para que a nossa Igreja no Brasil continue a ser cada vez mais missionária, continue a ser cada vez mais presente e, desse modo, podermos prestarmos um serviço fecundo para a transformação da sociedade brasileira”.

Compartilhe:

Filho de ministro do TCU é alvo de nova fase da Lava Jato


O advogado Tiago Cedraz, filho do ministro do tribunal de Contas da União (TCU), Aroldo Cedraz, é um dos alvos de busca da 45ª fase da Operação Lava Jato. A ação ocorre nesta quarta-feira (23) em Salvador, Brasília e Cotia (SP). Ao todo, quatro mandados de busca e apreensão foram cumpridos na atual fase – batizada de Abate II. A informação é da TV Globo.

Tiago Cedraz foi intimado a comparer imediatamente à superintendência regional da Polícia Federal, em Brasília, para prestar depoimento. Ele foi citado em depoimento de Jorge Luz, que está preso em Curitiba e que foi ouvido no âmbito da 44ª fase. Segundo as investigações, Luz disse que Cedraz recebeu propina de 20 mil dólares e intermediou as conversas entre a empresa Sargeant Marine e a Petrobras.

Essa ação é um desdobramento da 44ª etapa, que prendeu o ex-deputado federal Cândido Vaccarezza, líder dos governos Lula e Dilma. O ex-deputado foi solto pelo juiz Sérgio Moro nesta terça (22), e é alvo de um dos mandados de busca da atual fase.

Compartilhe:

Estudo acusa ExxonMobil de ter alimentado dúvidas sobre mudanças climáticas

domtotal.com
"A ExxonMobil enganou o público", concluíram os especialistas em História das Ciências.
Para os autores do estudo, a ExxonMobil
Para os autores do estudo, a ExxonMobil "contribuiu para o progresso da ciência sobre o clima", mas enquanto isso "alimentou as dúvidas" sobre o fenômeno. (Divulgação).

A ExxonMobil sabia desde os anos 1980 que as mudanças climáticas eram um fenômeno real causado pelo homem, mas, em público, alimentou as dúvidas, enganando seus acionistas e cidadãos, segundo um estudo publicado nesta terça-feira.

O artigo, que amplia uma pesquisa do site InsideClimate News divulgada em 2015, se baseia na análise de 187 documentos produzidos pelo gigante petroleiro americano entre 1977 e 2014: publicações científicas, documentos internos e artigos pagos no New York Times.

"Identificamos uma contradição sistemática entre o que a Exxon dizia sobre as mudanças climáticas nos círculos privados e acadêmicos e o que dizia em público no New York Times", explicou à AFP Geoffrey Supran, um dos autores do estudo publicado na Environmental Research Letters.

Assim, em 83% das publicações científicas e em 80% dos documentos internos estudados se reconhece que a mudança climática é "real e causada pelo homem", mas paralelamente, em "81% dos artigos publicados no New York Times expressam dúvidas" sobre isso.

Para os autores, Supran e Naomi Oreskes, da Universidade de Harvard, ao ter financiado a pesquisa científica, a ExxonMobil "contribuiu para o progresso da ciência sobre o clima", mas enquanto isso "alimentou as dúvidas" sobre o fenômeno.

"A ExxonMobil enganou o público", concluíram os especialistas em História das Ciências.

Supran e Oreskes explicaram ter desenvolvido o estudo depois que a companhia desmentiu as informações de alguns veículos de mídia, que acusaram a empresa de ter ocultado dados científicos sobre as mudanças climáticas.

"Rechaçamos claramente as acusações (...) Nossa empresa, de forma contínua, pública e aberta, investigou e falou dos riscos ligados às mudanças climáticas", defendeu a empresa, na qual o atual secretário de Estado dos Estados Unidos, Rex Tillerson, passou 41 anos, dirigindo-a entre 2006 e 2016.


AFP
Compartilhe:

Temer extingue Reserva Nacional de Cobre e põe terras indígenas em risco

domtotal.com
Área, que tem alto potencial para exploração de ouro, poderá ser concedida para a exploração mineral. 
Governo Temer derruba proteção de reserva e libera caminho para mineradoras
Governo Temer derruba proteção de reserva e libera caminho para mineradoras (Marcelo Camargo/ Agência Brasil).

O Diário Oficial da União publicou nesta quarta-feira (23) decreto do presidente Michel Temer que extingue a Reserva Nacional de Cobre, uma área de 4,7 milhões de hectares (maior que a Suíça, a Holanda ou a Dinamarca), no Pará e no Amapá. O decreto 9.142, que revoga seus antecedentes de 1984 e 1985, foi assinado também pelos ministros das Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, e Sergio Westphalen Etchegoyen, do Gabinete de Segurança Institucional.

Com a revogação da reserva, a área, que tem alto potencial para exploração de ouro, poderá ser concedida para a exploração mineral. 

O texto diz que a extinção “não afasta a aplicação de legislação específica sobre proteção da vegetação nativa, unidades de conservação da natureza, terras indígenas e áreas em faixa de fronteira”. Para o WWF, porém, a medida coloca em risco nove áreas protegidas, entre elas as Terras Indígenas Waiãpi [na foto principal, de Mario Vilela, da Funai], no Amapá, e Rio Paru d`Este, no Pará.

As demais áreas que podem ser afetadas são o Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque, as Florestas Estaduais do Paru e do Amapá, a Reserva Biológica de Maicuru, a Estação Ecológica do Jari, a Reserva Extrativista Rio Cajari e a Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Rio Iratapuru.

O WWF-Brasil divulgou, em julho, relatório sobre os impactos prováveis dessa área para a exploração de minérios. O diretor-executivo da organização, Maurício Voivodic, falou em “explosão demográfica, desmatamento, comprometimento dos recursos hídricos, perda de biodiversidade, acirramento dos conflitos fundiários e ameaça a povos indígenas e populações tradicionais”.


Outras Palavras/ Redação
Compartilhe:

Papa Francisco: esperança de que dias mais belos estão por vir

Por Miguel Pérez Pichel

Resultado de imagem para papa francisco esperança
VATICANO, 23 Ago. 17 / 10:00 am (ACI).- Em sua catequese na Audiência Geral desta quarta-feira na Sala Paulo VI, o Papa Francisco incentivou a não se deixar arrastar pela nostalgia e, ao contrário, olhar com esperança cristã para a vida futura prometida por Jesus.

O Santo Padre afirmou na catequese: “Algumas pessoas acreditam que a vida ofereça todas as suas felicidades na juventude e no passado, e que o viver seja um lento declínio. Outros creem que as nossas alegrias sejam esporádicas e passageiras, e na vida dos homens esteja inscrita uma falta de sentido. Mas nós, cristão, não acreditamos nisso”.

“Acreditamos, pelo contrário, que no horizonte do homem existe um sol que ilumina para sempre. Acreditamos que os nossos dias mais belos estão ainda por vir”.

“Somos gente mais de primavera do que de outono: vemos os brotos de um mundo novo antes que as folhas amareladas nos ramos. Não nos refugiamos em nostalgias, arrependimentos e lamentações: sabemos que Deus nos quer herdeiros de uma promessa e incansáveis cultivadores de sonhos”.

O Pontífice se dirigiu aos participantes da Audiência e os convidou a se perguntar: “Eu sou uma pessoa de primavera ou outono? Minha alma é uma alma de primavera ou de outono? Que cada um responda. De primavera, que espera a flor, que espera o fruto, que espera o sol que é Jesus, ou de outono, que está sempre com o rosto olhando para baixo, amargurado e, como disse às vezes, com a cara de pimentão no vinagre?”.


O Pontífice refletiu sobre o fragmento do livro do Apocalipse no qual se fala da Jerusalém Celeste: “Essa Jerusalém Celeste imaginada antes de tudo como uma grande tenda onde Deus acolherá todos os homens para habitar definitivamente com eles”.

Francisco sublinhou que “acreditamos e sabemos que a morte e o ódio não são a última palavra pronunciada sobre a parábola da vida humana. Ser cristãos implica uma nova perspectiva: um olhar cheio de esperança”.

O Papa convidou os fiéis presentes a meditar a “Sagrada Escritura não de maneira abstrata, mas depois de ter visto o telejornal ou as manchetes dos jornais, onde existem tantas tragédias, onde se fala de tantas notícias tristes”.

“Procurem pensar nos rostos das crianças amedrontadas pela guerra, ao choro das mães, aos sonhos desfeitos de tantos jovens, aos refugiados que enfrentam viagens terríveis”, sugeriu o Santo Padre.

“A vida infelizmente é também isto. Às vezes se diria que é sobretudo isto”.

Entretanto, “existe um Pai que chora lágrimas de infinita piedade em relação aos seus filhos. Nós temos um Pai que sabe chorar, que chora conosco. Um Pai que espera para nos consolar, porque conhece os nossos sofrimentos e preparou para nós um futuro diferente. Esta é a grande visão da esperança cristã”.

Por isso, recordou que “não é cristão caminhar com o olhar voltado para baixo – como fazem os porcos: sempre vão assim – sem levantar os olhos para o horizonte, como se todo o nosso caminho se consumisse aqui, no palmo de poucos metros de viagem; como se na nossa vida não existisse nenhuma meta e nenhum ponto de chegada, e nós fossemos obrigados a um eterno vaguear, sem nenhuma razão para tantas nossas dificuldades”.

Pelo contrário, “a esperança cristã baseada na fé em Deus que sempre cria novidades na vida do homem, na história e no cosmos. Novidades e surpresas. Nosso Deus é o Deus das novidades e das surpresas”.

“Deus – continuou – nos criou porque nos quer felizes. É o nosso Pai, e se nós aqui, agora, experimentamos uma vida que não é aquela que Ele quis para nós, Jesus nos garante que o próprio Deus está operando o seu resgate. Ele trabalha para nos resgatar”.

“O cristão sabe que o Reino de Deus, o seu Senhorio de amor, está crescendo como um grande campo de trigo, mesmo que no meio exista a cizânia. E no final o mal será eliminado”, assegurou.

“O futuro não nos pertence, mas sabemos que Jesus Cristo é a maior graça da vida: é o abraço de Deus que nos espera no final, mas que já agora nos acompanha e nos consola no caminho”.

“Ele nos conduz à grande tenda de Deus com os homens, com tantos irmãos e irmãs, e levaremos a Deus a recordação dos dias vividos aqui embaixo. E será bonito descobrir naquele instante que nada foi perdido, nenhum sorriso, nenhuma lágrima”, concluiu.
Compartilhe:

Pe. Geovane Saraiva

Pe. Geovane Saraiva

POSTAGENS POPULARES

SIGA-ME

Siga por e-mail

Tecnologia do Blogger.
Copyright © F.G. Saraiva | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com