terça-feira, 30 de abril de 2013

O Povo Português está em perigo


Pedro Mota Soares (CDS-PP)*
Portugal tinha, no final de março, menos 8400 idosos pobres a receber o complemento solidário para idosos (CSI), cujo valor médio rondará os 100 euros por mês, e menos 49 681 beneficiários de rendimento social de inserção (RSI), com uma prestação média mensal de 81 euros, comparativamente a junho de 2011, mês em que Governo PSD/CDS tomou posse. O número de beneficiários em cada uma destas prestações sociais é agora 226 940 pessoas no caso do CSI e 274 937 no RSI.
Esta gente (só para não dizer «esta canalha») que tem (des) governado o país perdeu a cabeça e o bom senso. Um país como o nosso que apresenta taxas de desemprego avassaladoras e uma população idosa que roça o deprimente, com pensões de miséria, vê-se assim caída na desgraça, porque a esmola que lhes minorava em quase nada a tragédia que é viver hoje no nosso país, foi-lhes retirada, porque o (des) governo não está para alimentar vadios nem muito menos existe para distribuir os nossos impostos com as pessoas, mas com altas negociatas nas empresas estatais, nas Parcerias Público Privadas (as famosas PPP’s) nos BPN’s e nas mordomias dos (des) governantes. 
Essa agora de não tirar o pão da boca dos bandidos que tiveram o azar de nascer neste país e não aplicar o dinheiro isso sim, nos luxos que alguns entendem ter direito porque existe leis que assim prevêem e que essas sim devem ser cumpridas escrupulosamente... Estas são medidas boas e políticas que não salvam o povo, mas o coiro dos sortudos que se abeiram do pote. Façam-me um favor, vão passear com esta lógica do pacóvio que não acredito em nada do que sai da vossa boca.
A paciência para ver e ler estas notícias já vai faltando. Está a tornar-se intolerável suportar a arrogância com que se tira o que não deve ser tirado e se coloca onde não deve ser colocado. Nunca acreditei em nenhuma medida de austeridade e hoje estou seguríssimo que nenhum destes sacrifícios irá resolver o problema da dívida de Portugal, pelo contrário, os problemas agravam-se em cada dia que passa e cada vez devemos mais dinheiro. E assim, lá vamos nós de medida em medida destruindo o melhor de Portugal que é o seu povo.
Uma perguntinha inocente. Como é possível que à cabeça da implementação destas medidas contra os pobres esteja um membro de um partido (CDS-PP), que se afana de ser herdeiro da «democracia-cristã», com vários militantes profundamente ligados à Igreja Católica, com prática religiosa regular onde escutam frequentemente a Palavra do Evangelho que faz dos pobres os bem aventurados de Deus e aqueles a quem Jesus busca preferencialmente? - Bom, mistérios que nos acompanham...
Última nota. Não pensem que me pôs a jeito para ser convidado para Ministro ou Secretário de Estado deste (des) governo. Sim, porque todos os que andam por aí a criticar as medidas deste (des) governo e do Primeiro Ministro Pedro Passos Coelho acabam sendo chamados à (des) governação. Que fique bem claro, totalmente indisponível. Devemos todos estar atentos e lutar por um país mais justo, onde a pobreza não se torne em paisagem e para que tenhamos uma sociedade mais humana e mais feliz. Como se faz isto? - Com justiça e respeito pelo bem comum. É isso que nos move.
*Ministro da Segurança Social

Blog: O BANQUETE DA PALAVRA

«Todo o progresso do mundo não vale o choro de uma criança faminta»

Como se conjuga o verbo rapio?
Frase de Dostoiewski: «Todo o progresso do mundo não vale o choro de uma criança faminta».  
Então específico. Quanto choro, estão a provocar os desmandos de quem manda, a irresponsabilidade de quem se acha dono da verdade e que faz sempre as melhores opções do mundo? Quanto choro no rosto de crianças sem pão, sem alegria para brincarem e aprenderem com as devidas condições básicas? Quanta lágrima escorre no rosto por causa da depressão e da angústia de ver o armário e o frigorífico vazios porque faltou o dinheiro para comprar dignamente o necessário para a mesa? - E lá vamos nós a ver passar as obras loucas e desnecessárias, as revisões constitucionais como se com isto resolvêssemos as tragédias que afectam grosso modo a nossa população nos dias de hoje... 

Esta frase pode ser uma inscrição para todos aqueles que fazem fé absoluta na austeridade ou até mesmo no progresso desenfreado sem ter em conta as pessoas. Mais ainda serve para lançar à cara de políticos irresponsáveis que foram bem caracterizados há muito tempo pelo Padre António Vieira, no Sermão do Bom Ladrão, mas que se reveste de uma actualidade impressionante e desconcertante. Repare-se: «O ladrão que furta para comer, não vai nem leva ao inferno: os que não só vão, mas levam, de que eu trato, são outros ladrões de maior calibre e de mais alta esfera; os quais debaixo do mesmo nome e do mesmo predicamento distingue muito bem São Basílio Magno. Não só são ladrões, diz o santo, os que cortam bolsas, ou espreitam os que se vão banhar para lhes colher a roupa; os ladrões que mais própria e dignamente merecem este título são aqueles a quem os reis encomendam os exércitos e legiões ou o governo das províncias, ou a administração das cidades, os quais já com mancha, já com forças roubam cidades e reinos: os outros furtam debaixo do seu risco, estes sem temor nem perigo: os outros se furtam, são enforcados, estes furtam e enforcam. 
Diógenes que tudo via com mais aguda vista que os outros homens viu que uma grande tropa de varas e ministros da justiça levava a enforcar uns ladrões e começou a bradar: lá vão os ladrões grandes a enforcar os pequenos... Quantas vezes se viu em Roma a enforcar o ladrão por ter roubado um carneiro, e no mesmo dia ser levado em triunfo, um cônsul, ou ditador por ter roubado uma província?... De Seronato disse com discreta contraposição Sidônio Apolinário: Nom cessat simul furta, vel punire, vel facere. Seronato está sempre ocupado em duas coisas: em castigar furtos, e em os fazer. Isto não era zelo de justiça, senão inveja. 
Queria tirar os ladrões do mundo para roubar ele só! Declarando assim por palavras não minhas, senão de muito bons autores, quão honrados e autorizados sejam os ladrões de que falo, estes são os que disse, e digo levam consigo os reis ao inferno» (...) «O que eu posso acrescentar pela experiência que tenho é que não só do Cabo da Boa Esperança para lá, mas também da parte de aquém, se usa igualmente a mesma conjugação. Conjugam por todos os modos o verbo rapio, não falando em outros novos e esquisitos, que não conhecem Donato nem Despautério» (...).
Ontem, porque foi 25 de Abril, vivido neste contexto em que vivemos de ataque feroz contra os indefesos do nosso país, onde a liberdade está ameaçada e onde nos vemos tomados de assalto, reli com entusiasmo o Sermão do bom Ladrão. Vamos lá e deliciem-se com as palavras do Padre António Vieira, pensando na lástima que são os actuais (des) governantes da nação e da região…

Blog: O BANQUETE DA PALAVRA

Paul McCartney: Sucessos para várias gerações


Paul: fãs cearenses preparam homenagem durante show

Depois que os Beatles anunciaram o fim da banda, em 1970, Paul McCartney precisou de um tempo para voltar a cantar sucessos como “Eleanor Rigby”, “Helter skelter” ou “Hey Jude”. O espólio daquele que havia se tornado o maior fenômeno da música popular internacional era também um fardo pesado demais para ser carregado por um jovem músico, na época, de menos de 30 anos. A saída encontrada foi montar um novo grupo, os Wings, e um novo repertório. A partir dali, os Beatles viraram, de fato, passado.
A nova fase, longe dos antigos amigos John, George e Ringo, também rendeu grandes momentos ao garoto de Liverpool. Mas a cobrança para que ele voltasse a encarar os velhos hits era bem forte. Paul deu um tempo para si, tentou um distanciamento, e só então foi possível encontrar espaço para mesclar a nova produção com tudo aquilo que o público sabia acompanhar de cor e salteado. E é aí que “nasce” o Paul McCartney que vem a Fortaleza no próximo dia 9 de maio.
Apesar dos 70 anos, o artista encontra fôlego de menino na hora que sobe ao palco para uma maratona de, no mínimo, três horas de espetáculo. Embora ainda não tenha sido divulgado o repertório dos shows da nova turnê, a fórmula seguida, que já tem algumas décadas, é simples: caminhar por uma coleção de canções famosas lançadas nos seus 50 discos. O apelo super popular dos Beatles passou a conviver amigavelmente com o que foi produzido durante a carreira solo, que já lhe toma 43 anos. Desta, são pinçadas joias do quilate de “Maybe I’m amazed”, “Band on the run”, “Mull of Kintyre” e “Let ‘em in”.
É bem verdade que, entra turnê, sai turnê, algumas canções permanecem com seu assento garantido no setlist. “Hey Jude”, por exemplo. Além dela, “Let it be”, “Yesterday” e “The long and winding road” também relembram os tempos de FabFour. Da carreira solo, “Let me roll it”, “My love” e “Live and let die” (com suas explosões pirotécnicas) já são donas de cadeira cativa.
Trocando uma faixa aqui, outra ali, é assim que têm sido as turnês de Paul McCartney, pelo menos desde 1990, quando ele veio ao Brasil com sua World Tour para duas noites no Rio de Janeiro. Dar início à nova Out There por aqui, 23 anos depois, é a prova que aquelas apresentações no Maracanã foram marcantes para ele também. Mais ainda se levarmos em conta que nos últimos anos a presença do inglês neste País tropical tem sido mais frequente.
Tão frequente que já surgiram rumores que ele teria ficado encantado com o som do funk carioca. Segundo o produtor Mark Ronson, que está trabalhando no sucessor de Kisses on the botton (2012), Paul teria lhe mostrado “uma coisa meio pós-Bonde do Rolê e perguntou: ‘Como conseguimos esse tipo de energia?’ E aí ele tocou ‘Climax’, do Usher, e falou: ‘Eu amo como as partes sônicas aparecem nessa música’”.
Será, então, que o nobre repertório de Paul vai abrir espaço para a força do pancadão carioca? Só esperando para saber.
Saiba mais
A campanha #PaulnoCastelao está convidando os fãs para uma homenagem especial aos Beatles durante o show de Fortaleza. A ideia é que todos levem balões verdes e amarelos para agitarem durante “Hey Jude”. “Todo mundo levando um pacote de balões, dá pra fazer isso e ficar bonito”, empolga-se Marilza Arbex, 49, uma das responsáveis pela campanha. 
A outra homenagem seria levantar corações vermelhos durante “Something”, saudação que Paul costuma fazer a George Harrison (1943 – 2001). “Vamos esperar o show de Belo Horizonte para confirmar (o setlist)”, adianta. A campanha pode ser acompanhadas pela página www.facebook.com/kilza.arbex(MS)
Jornal O Povo

O Papa quer um mundo mais franciscano

Pe. Geovane Saraiva*

O nosso querido Papa Francisco, nas suas primeiras palavras encantadoras: “Os cardeais me buscaram dos confins do mundo”, e depois: “Quero uma Igreja pobre, para os pobres”, nos ajude a compreender que temos que optar por uma Igreja mais coerente com o Evangelho, na simplicidade e na ternura franciscana, num mundo que concentra e exclui, produz riqueza e miséria, constrói torres e palácios, em confronto com favelas, casebres, palafitas e mocambos.

Por isso eu tinha razão quando escrevi em 2012, que toda civilização necessita figuras exemplares, modelo e referenciais, que mostrem concretamente ao mundo, os grandes sonhos e utopias, numa palavra, mostrem os valores últimos, no sentido de sustentar as motivações dos seres humanos, na sua relação e ação com seus semelhantes, com a natureza e o meio ambiente. Parece até que estava antevendo a novidade incomensurável, que foi chegada entre nós do Papa Francisco, apresentando sinais evidentes de quem sonha com a renovação da Igreja, através de gestos e atitudes, vindos de corações sensibilizados e convertidos, uma Igreja pobre e servidora, no dizer de Dom Helder Câmara.

E citava o Hartmut Koschyk, Vice-Ministro da Economia Alemã, que ao visitar em 05/05/2012 à Basílica de São Francisco de Assis – Itália, pronunciou as seguintes palavras: “Seria melhor uma Europa mais franciscana”.  Segundo aparece no site www.sanfrancesco.org, o Vice-Ministro alemão teria afirmado que “o pensamento franciscano é caracterizado pela fraternidade, bondade e solidariedade, virtudes que podem contribuir para uma nova ordem ética e econômica”.

Com novo Papa Francisco, somos chamados ainda mais a olhar para vida do pobrezinho de Assis, que não significou um abandono do mundo, do seu mundo de então, nas relações entre as pessoas, ao contrário, podemos ver na sua radical opção de vida, de um modo claro e explícito, uma dura crítica às forças dominantes do tempo por ele vivido, apontando para uma nova sociedade, baseada na solidariedade, com oportunidade para todos.

Francisco de Assis, na sua “loucura” por Deus e suas criaturas, iniciava uma nova forma de convívio humano, fazendo entender que qualquer privilégio em relação aos bens deste mundo, que são dons de Deus, só se justifica, quando se destina a favorecer os empobrecidos, indefesos, fracos e sofredores de toda sorte.

Lembrava também que o dia mundial do meio ambiente, comemorando neste dia 05 de junho, no mundo inteiro, nos faz pensar em um Francisco de Assis, que “chamava irmãos e irmãs as criaturas, mesmo as últimas, sabendo com clareza que todas e todos procediam de uma mesma e única fonte” – Deus.  Daí na sua primeira ralação com a natureza, ser não de domínio e posse, mas de fraterno e terno convívio.

Deus infinitamente bom, que nos deu o Papa Francisco, nos dê a graça de sempre e cada vez mais compreender a vida humana na face da terra, aqui posta em questão no seu sentido último, a partir de Francisco de Assis, a nos dizer que temos que ter força, no sentido colocar nossos valores e projeto de vida como um todo, acima dos nossos interesses, num grande mutirão de solidariedade em favor do planeta.

Portanto, diante do clamor e de gemido da natureza, á beira do abismo, a humanidade é chamada e não tem alternativa para evitar sua própria autodestruição, a não ser fazer sua parte, tendo na mente, nos olhos e no coração, a vida do planeta como algo sagrado, inspirados no sonho e na força desta figura humana, que abraçou o projeto de Deus Pai com uma comovedora ternura, tornando-se fascinado por Deus e por suas criaturas e foi exatamente este fascínio que o tornou extremamente humano.

Que a lição de otimismo, herança inestimável, deixada por Francisco de Assis, agora abraçada pelo Papa, Servo dos Servos de Deus, nos encoraje no nosso desejo de edificar o reino, grande sonho do Pai.

*Padre da Arquidiocese de Fortaleza, escritor, membro da Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza, da Academia de Letras dos Municípios do Estado Ceará (ALMECE) e Vice-Presidente da Previdência Sacerdotal - Pároco de Santo Afonso
geovanesaraiva@gmail.com

"Rezar pela Igreja para que fortaleça o anúncio do Evangelho", pede Francisco


Cidade do Vaticano (RV) – “Quando a Igreja se torna mundana, se torna fraca.” Em síntese, foi o que disse o Papa Francisco na homilia pronunciada esta manhã durante a Missa celebrada na Capela da Casa Marta, na presença de alguns funcionários da Administração do Patrimônio da Sé Apostólica.

O Papa destacou o ato de entrega da Igreja ao Senhor, exortando todos à oração.

“Nós rezamos pela Igreja, mas por toda a Igreja? Pelos nossos irmãos que não conhecemos em todo o mundo? É a Igreja do Senhor e nós, na nossa oração, dizemos ao Senhor: Senhor, protege a tua Igreja... Ela é Tua. A tua Igreja são os nossos irmãos. Esta é uma oração que nós devemos fazer do coração, sempre mais ".

É fácil rezar para pedir uma graça ao Senhor, para agradecer-Lhe ou quando precisamos de algo, disse o Papa. Todavia, é fundamental rezar por todos:

"Confiar a Igreja ao Senhor é uma oração que a faz crescer. É também um ato de fé. Nós não temos poder, somos pobres servidores – todos – da Igreja. Ele pode levá-la adiante, protegê-la e fazê-la crescer, defendê-la de quem quer que a Igreja se torne mundana. Este é o maior perigo! Quando a Igreja se torna mundana, quando tem dentro de si o espírito do mundo, quando tem aquela paz que não é a do Senhor, ela é fraca, é uma Igreja que será derrotada e será incapaz de levar o Evangelho, a mensagem da Cruz, o escândalo da Cruz... Não pode levá-lo adiante se é mundana."

Por isso, é importante entregar-se ao Senhor, confiar a Ele a Sua Igreja, os idosos, os doentes, as crianças, os jovens… Confiar a Igreja que passa por tribulações, como as perseguições, por exemplo. Mas há também pequenas tribulações: como as doenças ou os problemas familiares. Devemos entregar tudo isso ao Senhor, para não perder a fé e a esperança.

"Fazer esta oração de entrega pela Igreja – concluiu – nos fará bem e fará bem à Igreja. Dará grande paz a nós e grande paz a Ela, não nos tirará das tribulações, mas nos fará forte nas tribulações."

(BF)

Rádio Vaticano 

Justiça e formação são intenções de oração em maio


Cidade do Vaticano (RV) – Papa Francisco indicou como tema da intenção geral de oração, para o mês de maio, “Que aqueles que administram a justiça atuem sempre com integridade e consciência”.

Já a intenção missionária se refere à formação: “Que os seminários, especialmente os que se encontram em Igrejas de missão, formem pastores segundo o Coração de Cristo, dedicados totalmente ao anúncio do Evangelho.

Segundo o Apostolado da Oração, dirigido pelo jesuíta Pe. Claudio Barriga, “as intenções de oração deste ano expressam as necessidades da humanidade e as preocupações da Igreja, do ponto de vista do Papa Francisco”.

“São verdadeiros desafios que expressam o querer de Deus para o mundo, e para enfrentá-los, nos unimos em prece com participantes, amigos e todos os que trabalham pela justiça e a paz”.
(CM)



Site da Rádio Vaticano 

No Vaticano, cientistas sociais concluem reflexão sobre Governança


Cidade do Vaticano (RV) – “A Governança num mundo que se transforma diante dos desafios de liberdade, legitimação, solidariedade e subsidiariedade” é o tema do encontro promovido pela Pontifícia Academia das Ciências Sociais, no Vaticano, nos dias 26 e 27 de abril.

Depois de duas sessões nos últimos anos, o encontro serviu para concluir as reflexões sobre os temas da Pacem in terris, avaliar e analisar os desafios que a governança encontra na sociedade atual.

Mary Ann Glendon, Presidente da Academia, abriu o evento apontando que “o poder não pode se reduzir à força, mas compreendido como a capacidade de se obter o bem comum”. Para a tradição católica, explicou ela, “a paz não é ausência de guerra, mas a tranqüilidade da ordem”.

Já o Cardeal Peter Kodwo Appiah Turkson, Presidente do Pontifício Conselho da Justiça e da Paz, partiu da encíclica de João XXIII para abordar o tema “Governança para o maior bem comum”. Disse que “um coração convertido, ou seja, que segue Cristo, procura encontrar no amor os meios para assegurar bem-estar no mundo humano e natural. A oração dos anjos, no nascimento de Cristo, ensina que o dever de construir a paz pertence a todos os homens de boa vontade. Por isso, cada um de nós pode ser um canal de paz, um instrumento do bem”.
(CM)

Site da Rádio Vaticano 

Cáritas Francesa lança "wikiwater", guia para o acesso à água potável



Paris (RV) – A associação Secours Catholique (a Cáritas Francesa) desenvolveu um "wikiwater", um guia interativo que visa melhorar o acesso à água e saneamento para as comunidades mais desfavorecidas.

O wikiwater foi criado pela associação com a parceria de voluntários e especialistas ao longo de três anos. O guia oferece informações e dicas simples e práticas como a forma de construir um poço, por exemplo, e como purificar a água, entre muitas outras sugestões. Para visitar o wikiwater, acesse www.wikiwater.fr

Segundo a associação, mais de quatro milhões de pessoas ainda morrem a cada ano em todo o mundo devido à água contaminada e 885 milhões não têm acesso à água potável.

Em 2010, a epidemia de cólera no Haiti, causada por água contaminada, levou à morte de mais de 7.900 pessoas.

"Num mundo de sete bilhões de pessoas, seis bilhões têm telefones móveis. No entanto, apenas 4,5 bilhões têm acesso a banheiros ou latrinas", declarou o Secretário-Geral Adjunto das Nações Unidas, Jan Eliasson.

A Assembleia Geral da ONU reconheceu o direito à água e ao saneamento como parte do direito humano básico de um padrão de vida adequado em 2010.

(BF)


Site da Rádio Vaticano 

Edith Stein: uma santa do nosso tempo. Simpósio em Salvador



RealAudioMP3 Cidade do Vaticano (RV) – Realiza-se em Salvador, de 26 a 29 de agosto, o II Simpósio Internacional Edith Stein.

O tema do evento é “A pessoa na Filosofia e nas Ciências Humanas”, que será realizado na Universidade Católica do Salvador – UCSal. A finalidade do Simpósio é “unir vários pesquisadores e pessoas que trabalham com o pensamento de Edith Stein, para difundi-lo não só no Brasil, mas também internacionalmente”, afirma o Prof. Moisés Rocha Farias da Faculdade Católica Rainha do Sertão e membro da Ordem dos Carmelitas Descalços Seculares, OCDS.

Entrevistado pela Rádio Vaticano, ele fala da atualidade do pensamento de Edith Stein:

“A Ciência da Cruz e tantas outras obras que, no fundo, a grande preocupação de Edith Stein é justamente essa: descobrir o que é a pessoa humana e fazer com que nós tenhamos essa consciência da estrutura que nos forma para que nós possamos atingir nosso objetivo enquanto pessoa.”

Clique acima para ouvir a reportagem completa.

(BF)


Rádio Vaticano 

Há 215 milhões de crianças que trabalham

MUNDO
Relatório da OIT

Texto Miguel Marujo | Foto Lusa | 30/04/2013 | 10:40
A implementação de medidas de proteção social pode desempenhar um papel fundamental no resgate de menores que tenham sido apanhados na escravidão do trabalho, aponta um novo relatório da Organização Internacional do Trabalho
IMAGEM
O Relatório Mundial sobre o Trabalho Infantil, da Organização Internacional do Trabalho (OIT), defende que diversos tipos de medidas de proteção social – como os sistemas de transferência de rendimento, proteção social, saúde e prestação de garantia de rendimento na velhice –, podem ajudar a reduzir o número de crianças que por todo o mundo são forçadas a trabalhar. A OIT estima que este fenómeno mantém aprisionadas 215 milhões de crianças no mundo. 

«Este relatório contribui para uma melhor compreensão das vulnerabilidades económicas e sociais subjacentes ao que gera o trabalho infantil», afirmou Constance Thomas, diretor do Programa Internacional da OIT para a Eliminação do Trabalho Infantil (IPEC, na sigla inglesa), e que foi o autor do relatório. 

O documento observa, por exemplo, que o programa brasileiro de transferência de dinheiro «Bolsa Família», que oferece às famílias um subsídio mensal para enviar os seus filhos à escola, tem desempenhado um papel primordial na redução do trabalho infantil, tanto em áreas rurais como em zonas urbanas, em todo o país latino-americano. Da mesma forma, a introdução de um programa de bolsas no Camboja, que envolve também as transferências de rendimento, reduziu o trabalho infantil em 10 por cento.

Paris envia brinquedos a crianças sírias

MUNDO
Turquia serve de refúgio para 400 mil sírios

Texto Juliana Batista | Foto ONU | 30/04/2013 | 09:39
Centenas de crianças refugiadas receberam brinquedos enviados por menores que vivem em França. Os objetos foram recolhidos pelo Museu Quai Branly, em Paris, com a ajuda do Alto Comissariado da Organização das Nações Unidas para os Refugiados
IMAGEM
Um lote com 60 caixas de brinquedos, pertencentes a menores que vivem em França, chegou esta semana à Turquia e beneficiou mais de 700 crianças sírias, entre os três e os cinco anos de idade, que naquele país frequentam um berçário e a uma escola em campos de refugiados, informou a Rádio ONU.
Segundo um funcionário do Alto Comissariado da Organização das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), que acompanhou a entrega, os menores «estavam muito animados e adoraram brincar» com as ofertas. Os brinquedos foram recolhidos pelo Museu Quai Branly, em Paris, especializado em arte indígena, cultura e civilizações da África, Ásia, Oceânia e Américas.
No âmbito desta campanha, as crianças de Paris foram convidadas a levar ao museu um brinquedo em bom estado e, ao mesmo tempo, aprenderam sobre a situação de menores que estão refugiados e que precisaram de fugir das suas casas devido a guerras ou perseguições.
Segundo o Acnur, mais de dois mil brinquedos foram angariados neste ano pelo museu. A agência da ONU acredita que a Turquia está a servir de refúgio para 400 mil sírios. Por dia, chegam ao país entre 300 e 400 pessoas. Muitos vivem em campos de refugiados e outros em áreas urbanas. Os sírios recebem abrigo, bens alimentares, cuidados de saúde e educação.

Novo «Caminho do Mar» junta natureza, cultura e espiritualidade


Mais de 70 voluntários divididos em 15 equipas sinalizaram este sábado o Caminho do Mar, nova rota de peregrinos entre Cascais e o Santuário de Fátima que junta ecologia, cultura e espiritualidade.
“O Caminho do Mar pretende retirar as pessoas das estradas nacionais, colocando-as em rotas pelo meio da natureza ou em vias municipais com muito pouco trânsito”, explicou Isabel Blanco Ferreira, do Centro Nacional de Cultura, à Agência ECCLESIA.
O percurso com mais de 100 km começa a poucos metros da igreja matriz de Santo António do Estoril, no paredão fronteiro ao Oceano Atlântico, prosseguindo junto ao mar até ao Guincho, onde inflete para o interior, cruzando depois as dunas e a Serra de Sintra.
O traçado atravessa “zonas históricas”, incluindo locais que são Patrimônio Mundial da Humanidade, como Sintra, Mafra, Óbidos e Alcobaça, região onde o itinerário entronca com o Caminho da Nazaré, sinalizado há dois anos.
Isabel Blanco salientou que a rota oferece “silêncio interior, oportunidade de contemplação e uma ligação mais profunda com Deus”, a par do acréscimo de segurança em relação a outros itinerários, dado que reduz a passagem por estradas abertas ao tráfego viário.
Quem percorre o trajeto pode fazer uma experiência semelhante à de um “retiro” porque o traçado possibilita “sair das rotinas” e de “todos os ruídos do quotidiano”, acrescentou.
A responsável destacou que o Caminho do Mar oferece aos peregrinos estrangeiros e de outras regiões de Portugal a oportunidade de conhecerem a cultura, as tradições e o patrimônio artístico e histórico, “além do objetivo de peregrinar por uma razão religiosa, por uma promessa ou para um encontro consigo próprio”.
Depois de mencionar os benefícios econômicos para os municípios atravessados pela rota, nomeadamente através da aquisição de bens e serviços, Isabel Blanco revelou que os próximos passos do projeto consistem em colocar marcos junto de pontos de referência e pedir às autarquias que disponibilizem espaços para albergues.
Os promotores do traçado, 11 concelhos do litoral oeste e centro, Patriarcado de Lisboa e Centro Nacional de Cultura, desejam que o trajeto constitua uma alternativa às peregrinações realizadas ao santuário da Cova da Iria nos meses de maior afluência, entre maio a outubro, e geralmente acompanhadas por carros de apoio.
“O que queremos trazer para o Caminho de Fátima é o espirito existente no Caminho de Santiago de Compostela [Galiza, Espanha], utilizado todo o ano”, frisou Isabel Blanco, para quem “peregrinar também é uma forma de cultura”.
A sinalização da nova rota recorre a setas azuis, distinguindo-se das indicações a amarelo que assinalam o traçado rumo a Compostela, que também pode ser percorrido pelo Caminho do Mar.
O itinerário vai ser tornado público no ‘Google Earth’, plataforma de acesso gratuito na internet que dá acesso a mapas, imagens de satélite e edifícios, bem como nos media, redes sociais e associações de peregrinos, adiantou Isabel Blanco.
LS/RJM

Agência Ecclesia

Trabalhadores comemoram com solidariedade, esporte e lazer


De tudo um pouco para marcar o Dia do Trabalho, 1º de Maio, no Ceará. A Central Única dos Trabalhadores (CUT), no estado, realizará solenidade na Praça do Ferreira, no Centro de Fortaleza, a partir das 16h, com atividades artísticas e a entrega, à Federação dos Trabalhadores do Ceará (Fetraece), de cheque simbólico das doações de água potável. A CUT realiza campanha com a meta de coletar, até este 1º de maio, 15 mil litros, que serão encaminhados aos representantes dos trabalhadores do campo dos municípios em racionamento de água. As doações podem ser feitas na sede da CUT-CE, na Rua Solón Pinheiro, 915, bairro José Bonifácio, em Fortaleza.

Além da capital, a CUT, à qual estão filiadas 300 entidades sindicais, desenvolverá uma programação descentralizada em 7 regiões do estado: Cariri (Juazeiro do Norte), Crateús/ Inhamuns (Ararendá), Centro-Sul (Iguatu/ Icó), Maciço de Baturité (Aracoiaba), Sertão Central (Quixadá), Norte (Sobral) e Vale do Jaguaribe (Limoeiro do Norte). Conheça a programação completa no site www.cutceara.org.br.
 
Serviços e diversão
 
No Centro de Inclusão Tecnológica e Social (Cits), do Conjunto Ceará (Rua 1.111, nº 10, 4ª Etapa), em Fortaleza, a Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS), do Governo do Estado, oferecerá aos trabalhadores e familiares serviços e lazer a partir das 8h30. Quem for vai poder tirar documentos como RG, CPF e Carteira de Trabalho. A parte de lazer fica por conta da programação esportiva, cultural.
 
Também serão ofertados cursos de lanches rápidos, manicure, bijuterias, massoterapia e corte de cabelo. Serviços como encaminhamento para o mercado de trabalho e formalização do empreendedor também estão no programa. Quem quiser saber mais sobre mercado de trabalho poderá assisti palestras sobre empreendedorismo à saúde e alimentação do trabalhador. Na oportunidade serão repassadas informações sobre os programas de qualificação profissional, como o Primeiro Passo, Juventude Empreendedora e Criando Oportunidades.
 
Passeio ciclístico
 
Como acontece há 18 anos, o Sesc realiza no Dia do Trabalho o CicloSesc, passeio ciclístico que reúne comerciários e seus familiares. O evento acontecerá em ruas das cidades de Fortaleza, Crato, Juazeiro do Norte, Sobral e Iguatu. O percurso em cada um desses locais tem cerca de 20km. A estimativa é que participem em torno de 27 mil pessoas, sendo cinco mil só em Fortaleza.
 
Na capital, com o tema “Viver mais a cidade”, o CicloSesc vai levar os participantes a conhecerem mais o patrimônio histórico, cultural e ambiental do município. Durante o percurso, os participantes receberão informações sobre alguns pontos importantes da cidade, como o Liceu do Ceará, o Forte, o Mercado São Sebastião, o Dragão do Mar e a Praça Coração de Jesus.
 
Todo o esquema de segurança foi preparado para esse evento de lazer em família. A Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, com apoio da Escolinha de Ciclismo do Ceará acompanharão o passeio. Também são oferecidos serviços médicos e carros de apoio.
   
Com informações das assessorias de imprensa da entidades. Contatos: Camila Carvalho, Assessora de Comunicação da CUT-CE – (fone: 85 9674 7316 / 8897 7477) / Carlos Eugênio, Assessor de Imprensa da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social – (fone: 85 3101 2099 / 3101 2089) / SESC Fortaleza - (fone: 85 3452 9098 / 3452 9350) 
Última atualização: 30/04/2013 às 09:22:31

Boa Notícia

Evento no Dia da Arte traz o clima da Renascença a Fortaleza


Que tal experimentar as cores, sons e sabores do período da Renascença? A viagem cultural, é proposta pela Organização Filosófica Internacional Nova Acrópole para comemorar o Dia da Arte, 4 de maio. A entidade vai realizar em Fortaleza e em outras cidades brasileiras onde mantém sede, uma programação tendo como tema o Renascimento, período histórico após a Idade Média, em que houve um resgate do ideal humanista proposto pela cultura da antiguidade clássica. A arte, filosofia e ciência conheceram uma época de esplendor e as criações da época encantam até hoje.
 
Em Fortaleza, o programa vai envolver artes plásticas, música e poesia, grátis. Apenas no quesito gastronomia, haverá um almoço temático pago. O cardápio tem receitas de Leonardo da Vinci, o multifacetado artista, inventor,poeta, músico...e gourmet. Antecipando o Dia da Arte, logo na sexta-feira (3), na sede da Nova Acrópole Fortaleza (Rua Vicente Leite, 2451 - Dionísio Torres) receberá cerca de 200 estudantes do ensino médio de quatro escolas públicas estaduais para visitas guiadas a uma exposição didática sobre o Renascimento. Antes das visitas – programadas para às 8h, 10h, 14h e 16h  – os estudantes vão assistir a uma minipalestra sobre o Renascimento.
 
Estarão na mostra, réplicas de obras renascentistas como “A Última Ceia” e “O homem Vitruviano”, de Leonardo da Vinci; “A Calúnia de Apeles”, “A Primavera” e “O Nascimento de Vênus” (foto), de Botticelli e “A Escola de Atenas”, de Rafael. O espaço trará ainda uma réplica das pinturas da “Capela Cistina”, de Michelangelo, dentre outros trabalhos.
 
Música, ideias e sabores
 
O público em geral poderá visitar a exposição no dia 4, quando a programação será intensificada. A mostra fica aberta das 12h às 22h. Quem desejar poderá ao restaurante O Banquete, em área reservada da Nova Acrópole, onde acontecerá o evento Da Vinci Gourmet. A chef Liliane Pereira preparou um cardápio especial para a ocasião, a partir das receitas do famoso renascentista. O cardápio será servido a partir de 12h, acompanhado de explicações sobre a receita e curiosidades sobre esse lado pouco conhecido de Da Vinci.
 
A partir das 15h, acontecem palestras abertas na sede da Nova Acrópole de Fortaleza. A diretora da entidade Renata Peluso abordar os temas "Por que a beleza importa?", às 15h, e "Os Motores Ocultos do Renascimento", às 19h30. Às 17h, o público poderá participar de audição comentada de músicas renascentistas sacras e profanas. Os comentários serão do Prof. Rafael Montenegro.
 
Entre uma palestra e outra, ainda será possível assistir à apresentação do artista plástico catarinense Dom Cabral, que vai executar ao vivo uma pintura digital da obra “Criação do Homem”, de Michelangelo, conhecida como “O Dedo de Deus”. Nascido em Blumenau-SC, Dom Cabral reside em Fortaleza há 12 anos.
 
O final da programação do Dia da Arte na Nova Acrópole será com a Orquestra Eleazar de Carvalho, que realiza concerto às 21h. Ficou um gosto de quero mais? No domingo  (5),  haverá tarde musical na Livraria Cultura. Mais uma vez, a Orquestra Eleazar de Carvalho vai se apresentar com comentários sobre a música renascentista. A entrada é 1 kg de alimento não perecível. As vagas são limitadas. (Com informações da assessoria de imprensa do evento)
 
Mais informações: Nova Acrópole Fortaleza - (fone: 85 3257 2777 / 8833-3217) / 
Simplícia Viana, jornalista Nova Acrópole -  (fone: 85 8724 2435) / Gilda Barroso, assessora de imprensa – (fone: 85 8839 9322 / 9925 5762)

Boa Notícia

Cardeal Amato: "Nhá Chica, lição autêntica de vida cristã"


inha chicaNa beatificação da Venerável Nhá Chica, dia 4 de maio próximo, em Baependi (MG), estarão presentes o Prefeito da Congregação das Causas dos Santos, cardeal Angelo Amato, representante do Papa, e o presidente da CNBB, cardeal dom Raymundo Damasceno Assis.
Entrevistado pela Rádio Vaticano, o cardeal fala sobre a futura beata.
Cardeal Amato: "É um grande presente que o Papa Francisco faz à Igreja no Brasil. O Santo Padre, primeiro papa latino-americano, conhece bem a bondade do povo brasileiro, seu espírito religioso, o amor por Jesus e seu Evangelho de vida e alegria, a devoção à Virgem Maria, o apego filial à Igreja, o amor pelo Papa, bispos e sacerdotes, o respeito pelos idosos, a disponibilidade de acolher a vida como um dom inestimável de Deus, a caridade para com os pobres, o seu senso de igualdade e fraternidade, e o respeito pela natureza. Esta riqueza de valores humanos e espirituais faz do Brasil uma terra abençoada por Deus e uma moradia digna de toda pessoa humana. Nhá Chica viveu plenamente estes valores, deixando-os como herança para todos os brasileiros, mas também para toda a Igreja."
Em que época viveu a nova beata?
Cardeal Amato: "Francisca de Paula de Jesus, familiarmente conhecida como Nhá Chica, nasceu em 26 de abril de 1810, na cidade de Santo Antônio do Rios das Mortes, distrito de São João Del Rey (MG). Era filha da escrava Izabel Maria, solteira. Tinha um irmão, Teotônio Pereira do Amaral, que se tornou muito rico. A futura beata herdou dele a herança que foi distribuída como esmola para os pobres e utilizada na construção de uma capela para a Imaculada. Decidida a não se casar, Nhá Chica preferiu levar uma vida dedicada à caridade e oração, como sua mãe tinha lhe aconselhado antes de morrer. Não entrou no mosteiro, mas optou por fazer parte das mulheres beatas, que consagravam a vida ao Senhor, permanecendo em suas casas e fazendo a caridade aos necessitados. Morreu em 14 de junho de 1895 com fama de santidade."
O senhor pode traçar o perfil desta futura beata leiga brasileira?
Cardeal Amato: "Nós entrega o Papa Francisco, que em sua carta de beatificação disse que Nhá Chica era uma mulher de oração assídua e uma fiel testemunha da misericórdia de Cristo para com os necessitados no corpo e no espírito. Por unanimidade as testemunhas afirmam que Nhá Chica rezava muito e tinha sempre o rosário na mão. Incansável adoradora do Santíssimo Sacramento e contempladora da Paixão de Jesus, tinha uma profunda devoção a Nossa Senhora, que chamava de Minha Sinhá. A Salve Rainha era a sua oração preferida. A nossa futura beata era humilde. Não atribuía nada à sua pessoa, mas tudo a Deus e a Nossa Senhora. Ela colocava os pedidos dos fiéis diante da Virgem Maria. Quando uma pessoa voltava para agradecê-la por uma graça alcançada, ela dizia: 'Eu peço a Nossa Senhora, que me escuta e me responde'. A fama de santidade de Nhá Chica sempre foi consistente e persistente. Ela era chamada a Santinha de Baependi. A sua beatificação é uma lição autêntica de vida cristã.
CNBB

Realizado em Manaus (AM) seminário nacional de Catequese e Povos Indígenas

CatequeseIndigena“Catequese, protagonismo indígena e inculturação”: este foi o tema do III Seminário Nacional de Catequese e Povos Indígenas, realizado entre os 25 e 28 de abril, em Manaus (AM). O evento foi promovido pela Comissão Episcopal Pastoral Bíblico-Catequética da CNBB, em parceria com as Comissões Episcopal Pastoral para a Ação Missionária e Cooperação intereclesial e Comissão para a Amazônia, com o apoio da equipe de Catequese do Regional Norte 1 da CNBB.
Entre os cerca de 80 participantes de todo o país estavam lideranças indígenas de povos como, Makuxis, Tukanos, Wapixana e Tarianos. As conferências e debates destacaram a finalidade da catequese no contexto histórico e social dos povos indígenas. Segundo os organizadores, o Seminário realizado com a participação ativa de lideranças indígenas, pretende escutar os próprios indígenas, na busca de intensificar a missão e a catequese a partir deles, conforme afirmam as próprias Diretrizes Gerais da CNBB, “na perspectiva de uma evangelização cada vez mais inculturada pelas atitudes de serviço, do dialogo, do testemunho” (n. 79).
CNBB

Em maio, Papa reza pelos agentes de justiça e seminários


Da Redação, com Apostolado de Oração


Arquivo/L' Osservatore Romano
Todo mês, Papa confia uma intenção de oração ao Apostolado
Neste mês de maio, a intenção geral de oração do Papa Francisco é pelos agentes da justiça, para que “atuem sempre com integridade e reta consciência”.

Já a intenção missionária refere-se aos seminários. “Que os Seminários, especialmente os que se encontram em Igrejas de missão, formem pastores segundo o Coração de Cristo, dedicados por inteiro ao anúncio do Evangelho”.

O Apostolado de Oração recebe todos os anos as intenções mensais de oração do Papa, que são divulgadas a todos os fiéis para que os católicos do mundo inteiro possam se unir em oração ao Santo Padre. 

Canção Nova

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Francisco: Envergonhar-se é a atitude do verdadeiro cristão



Cidade do Vaticano (RV) – Vergonhar-se dos próprios pecados é a virtude do humilde que se prepara para acolher o perdão de Deus: foi o que disse o Papa Francisco na missa desta manhã presidida na capela da Casa Santa Marta, com a participação de funcionários da Administração do Patrimônio da Sé Apostólica e de algumas religiosas. 

Comentando a primeira Carta de S. João, em que se diz que “Deus é luz e Nele não há trevas”, o Papa Francisco destacou que “todos nós temos obscuridades na nossa vida”, momentos “em que há escuridão em tudo, inclusive na própria consciência”, mas isso não significa caminhar nas trevas:

“Caminhar nas trevas significa estar satisfeito de si mesmo; estar convencido de que não precisa de salvação. Essas são as trevas! Olhem seus pecados, os nossos pecados: todos somos pecadores, todos… Este é o ponto de partida. Se confessamos nosso pecados, Ele é fiel, é justo a ponto de nos perdoar.” 

Isso é o que acontece no Sacramento da Reconciliação, afirmou Francisco, acrescentando que confessar não é como ir à tinturaria, para limpar a sujeira de nossas roupas: “O confessionário não é uma tinturaria: é um encontro com Jesus que nos espera, que nos espera como somos. Temos vergonha de dizer a verdade, ‘fiz isso, pensei aquilo’, mas a vergonha é uma virtude verdadeiramente cristã e também humana... a capacidade de vergonhar-se é uma virtude do humilde.

Esta é a virtude que Jesus pede a nós: a humildade e a docilidade:  “Humildade e docilidade são como uma moldura da vida cristã. Um cristão vive sempre assim, na humildade e na docilidade. E Jesus nos espera para nos perdoar. Confessar não é como ir a uma “sessão de tortura”.

“Não! Confessar-se é louvar a Deus, porque eu pecador fui salvo por Ele. E ele me espera para me repreender? Não, com ternura para me perdoar. E se amanhã fizer a mesma? Confesse-se mais uma vez... Ele sempre nos espera”.

 Francisco então concluiu: “Que o Senhor nos dê esta graça, esta coragem de procurá-lo sempre com a verdade, porque a verdade é luz e não com as trevas das meias-verdades ou das mentiras diante de Deus. Que ele nos dê essa graça”. 
(BF)



 Site da Rádio Vaticano

Judeus fazem peregrinação anual à sinagoga mais antiga da África

Assessoria de Imprensa

DJERBA, Tunísia, 27 Abr (Reuters) - A mais antiga sinagoga da África é palco para essa raridade no mundo árabe --um encontro religioso de centenas de judeus provenientes de Europa e Israel.
Protegidos pela polícia armada tunisiana, judeus dançam e cantam em uma peregrinação de três dias à sinagoga El Ghriba, localizada em uma ilha a 500 km ao sul de Túnis.
Em 2011, após a revolta que derrubou o ex-presidente Zine El Abidine Ben Ali, a celebração anual foi cancelada, e em 2012 apenas algumas dezenas de judeus compareceram por medo de possíveis ataques de muçulmanos radicais.
Em 2002, militantes ligados à Al Qaeda atacaram a sinagoga com um caminhão-bomba matando 21 turistas ocidentais. A segurança para a peregrinação deste ano foi reforçada, com centenas de policiais de plantão.
"A forte presença da segurança é um passo positivo e envia uma mensagem para os judeus em todo o mundo que a Tunísia nos protege, mesmo que seus líderes sejam muçulmanos", disse à Reuters o chefe da comunidade judaica de Djerba, Perez Trabelsi.
"Judeus de todo o mundo vão ver os esforços do governo para tornar a celebração segura e voltarão aos milhares ao longo dos próximos anos e não prestar atenção a qualquer ameaça", acrescentou.
No domingo, o ministro do Turismo da Tunísia deve participar das celebrações, que tem atraído dezenas de muçulmanos da Tunísia.
"Estamos aqui para enviar uma mensagem de paz e tolerância abraçando todo mundo", disse uma mulher tunisiana chamada Zahayra Lakhel, ao colocar um lenço na cabeça judaico antes ingressar na sinagoga.
De maioria muçulmana, a Tunísia é lar de uma das maiores comunidades judaicas do norte da África. Embora agora sejam menos de 1.800, os judeus viveram na Tunísia desde os tempos romanos.
A sinagoga El Ghriba, que abriga a maioria dos judeus da Tunísia, está construída em um local de um templo judeu que acredita-se ter cerca de 1.900 anos.

Fonte: www.br.reuters.com

Francisco: o futuro do mundo

Estamos entregando ao povo de Deus, neste Natal de 2015 e início de 2016, o livro Francisco: o Futuro do Mundo. Nosso objetivo é ...